Seletividade Alimentar

Seu filho dá trabalho na hora de comer? Confira na integra o artigo produzido pela nossa Fonoaudióloga Lívia Thomaz sobre Seletividade Alimentar

Meu filho não come!!!


Vários podem ser os motivos que podem levar a essa questão, e ações que podem contribuir para o seu agravamento, é importante observar:


  • Se cada refeição vira um estresse e guerra constante, choros, repulsas...;

  • Só querer comer tendo algum distrator;

  • A criança não demonstra interesse pelo alimento, tem medo de experimentar;

  • A criança é mais restritiva, não consumindo vários grupos alimentares;

  • A seletividade Alimentar pode estar relacionada com questões sensoriais, orgânicas (doenças), mastigação como também falta de estímulo;

  • Faz ânsia de vômito e tem repulsa de ver alimento no prato;



Como a Fonoaudiologia lida com a Criança que é mais restrita aos alimentos:


  • Quanto antes houver a procura por um tratamento especializado mediante a suspeita da seletividade alimentar, menor é o tempo de intervenção. A Fonoaudiologia é uma parte importante do tratamento, porém é necessário um trabalho multidisciplinar.


  • Geralmente a Equipe Multidisciplinar para a Seletividade Alimentar é composta por: Médico Pediatra, Fonoaudiólogo, Nutricionista, Nutrólogo, Terapeuta Ocupacional e Psicólogos, porém não se restringem a essas especialidades podendo ser mais abrangente dependendo de cada caso.


  • Auxilia com exercícios de fortalecimento da musculatura da face atuando diretamente na organização e ajustes necessários para que as funções orofaciais do sistema estomatognático (fonoarticulação, deglutição, mastigação, respiração, sucção) funcione de forma funcional.


  • A Fonoaudiologia auxilia principalmente aquela criança por exemplo que não aceita alguns alimentos mais consistentes, demorando muito no tempo da mastigação demonstrando desinteresse em mastigar.


  • Cada caso deverá ser analisado de forma individual respeitando a necessidade de cada uma, e quantidade de estímulo a ser empregado.


A seletividade Alimentar pode ter início ainda na infância com possibilidade de se estender mais, dependendo muito se ocorrerá intervenção precoce e correta, por isso é importante os pais procurarem ajuda aos primeiros sinais de negativas persistentes diante dos alimentos;


Livia F de M Thomaz

FONOAUDIÓLOGA

CRFa 2-10878-1 - SP

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo